© 2018 por Ergotríade Gestão de Ergonomia

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon

Melhore a gestão de ergonomia na sua empresa vendendo o novo pro novo, o novo pro velho, o velho pro novo e o velho pro velho.

June 30, 2017

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!

 

Existe uma máxima no Marketing que diz que você tem que vender o novo pro novo, o novo pro velho, o velho pro novo e o velho pro velho.

 

Eu sempre acreditei que é possível maximizar o aprendizado, mesclando conceitos de áreas, ciências e universos paralelos, numa espécie de visão do upside down. 

 

Resolvi escrever este artigo, fazendo uma analogia do que os marqueteiros tem a nos ensinar.

 

Existem muitos e diferentes motivos que levam uma empresa a estagnar ou muitas vezes postergar o início de um trabalho de ergonomia, abaixo eu listo 8 deles:

 

  1. Falta de budget.

  2. Falta de braço para conduzir o trabalho.

  3. Falta de conhecimento.

  4. Experiências mal sucedidas.

  5. Percepção que trabalhar com ergonomia é caro.

  6. Achar que não tem problemas com ergonomia.

  7. Ter outras prioridades.

  8. Perfil reativo - até hoje nunca fomos cobrados.

     

Vamos ficar em 8 para não se estender a 80 motivos do insucesso da ergonomia dentro das empresas.

 

As dicas que eu dou aqui são empíricas, baseadas em nossa experiência, e que pode muito bem servir para você, desde que você saiba abstrair o texto, pegar um ou dois insights e adaptar para a sua realidade.

 

Venda o novo para o novo

 

Se a empresa que você trabalha ou os clientes os quais você costuma fazer negócio, já possuem alguma experiência com o assunto, não adianta entregar mais do mesmo.

 

Cabe a você vender o novo para o velho. A maneira mais fácil de fazer isso é identificar quais problemas as principais áreas da empresa estão enfrentando no momento atual. O que está “pegando” nas reuniões semanais de resultados.

 

Se o problema é a auditoria do cliente que vai cobrar a área de Recursos Humanos pela matriz de capacitação, como a ergonomia pode ajudar a resolver esta questão?
 

Se você mostrar que um dos principais resultados de uma análise ergonômica é enxergar as diferenças entre o trabalho prescrito (tarefa) e o trabalho real (atividade), e que a partir dai é possível ter uma matriz de capacitação mais acertiva, uma vez que enxergamos o que as pessoas realmente fazem, você estará vendendo "algo novo" que as pessoas não conheciam.

 

Venda o velho pro novo

 

Ergonomia não é mais uma novidade na sua empresa a muito tempo. Vocês estão no terceiro ano desde que este projeto começou. Para garantir que todos estão na mesma página que você, e que existe uma sinergia entre as áreas, você precisa vender o velho para o novo. Para cada mudança ou um novo projeto, uma nova pessoa que entrar na empresa, você precisa mostrar de onde vocês saíram, onde vocês estão e em que posição vocês querem chegar. 

 

Venda o velho para o velho

 

Essa etapa é muito parecida com a etapa descrita acima. Tem a ver com follow-up. Mas, com uma diferença, o desafio aqui é fazer com que as pessoas “comprem” sua idéia novamente. Todos os anos você precisa renovar a conta com a aquela consultoria, ou mesmo, renovar uma análise que já tem dois anos que foi feita.

 

É preciso saber vender o velho para o velho. Uma dica é comparar você com você mesmo. Toda comparação sua com algo ou alguém de fora é injusta, a única comparação que funciona é a comparação interna, com nós mesmos.
 

Se você corria 5 km e passa a correr 7 km, você terá evoluído 40%. Se você comparar sua performance com um cara que corre 10 km, você estará 50% (no caso de 5 km) ou 30% (no caso de 7 km) abaixo. Mostre a evolução que o trabalho vem tendo ao longo dos últimos meses ou anos.

 

E você?
Tem colocado em prática alguma dessas etapas?
Concorda com esse artigo?
Tem alguma idéia para acrescentar? 

 

Se você quiser ter acesso a aulas com diversos assuntos com uma abordagem como a deste artigo, clique no link da Ergotríade School, no final desta página, lá você irá ter acesso à todas as informações sobre como se tornar um aluno.

 

Se quiser saber sobre o post que inspirou a imagem de capa deste artigo, basta acessar o link abaixo.

 

Clique aqui para ler o post

 

Um grande abraço e Go ahead together!

 

Este artigo foi escrito por:
Omar Alexandre Ferreira, fundador da Ergotríade e professor da Ergotríade School.

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

A Engenharia da Ergonomia - Parte 1

September 6, 2017

1/3
Please reload

Posts Recentes