© 2018 por Ergotríade Gestão de Ergonomia

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon

Ergonomia organizacional

September 27, 2016

 

 

 

É cada vez mais latente nas empresas e organizações a preocupação em oferecer condições adequadas de trabalho aos seus trabalhadores, visando assim melhorara qualidade de vida no trabalho. Desta forma fica entendido que a promoção do bem estar colabora para a retenção de talentos e o engajamento, da mesma forma que atua diretamente nos resultados conquistados pelas empresas.

 

Nesse sentido a ergonomia organizacional cumpre importante papel, possuindo a função de compreender e apontar as melhores práticas e técnicas que levem a um aprimoramento da relação entre o homem e sua atividade laboral.

 

Dessa forma, como não poderia deixar de ser, uma das preocupações do trabalho de um profissional da ergonomia deveria ser não só os processos, mas principalmente as pessoas.

 

Ergonomia organizacional e a qualidade de vida no trabalho

 

Com um campo de trabalho promissor alavancado pelas recentes mudanças na visão das relações de trabalho, a ergonomia organizacional engloba um entendimento amplo das estruturas empresarias e das suas relações humanas.

 

Nos dias de hoje os ramos do conhecimento voltado aos recursos humanos e gestão de negócios é quase unanime em apontar que a insatisfação de trabalhadores com as condições de trabalho, bem como o clima organizacional desfavorável, são fatores que afetam diretamente a performance de empresas.

 

Uma dos papeis crucias que o profissional da ergonomia pode cumprir dentro de uma empresa está ligado à organização do trabalho, que abrange: o ritmo, exigências da produção, conteúdo das tarefas, relações interpessoais (especialmente entre comandados e cargos de chefia), mecanismos de controle, a comunicação no trabalho, verificação do clima organizacional e aplicação de treinamentos corporativos adequados. Tudo isso influencia diretamente a qualidade de vida no trabalho!

 

Com a reestruturação de processos e tarefas a adoção das melhores práticas, o impacto da saúde no trabalho (seja ela física ou emocional) são facilmente sentidos nas organizações que procuram profissionais com conhecimento em ergonomia e segurança do trabalho.

 

E ainda: não se trata de um método pronto e acabado, afinal nossa relação com o mundo do trabalho assim como as empresas estão em constante mudança e evolução, sendo que esse processo também o deve ser.É necessário o acompanhamento constante e tomada de ações corretivas quando necessário.

 

Pela atuação ampla e que atinge os principais pontos nervosos de qualquer negócio, é importante ressaltar que o profissional da área não opera milagres. É fundamental a participação e envolvimento de todas as partes, especialmente dos cargos de alta hierarquia, para aplicação de medidas apontadas pelos profissionais que fazem o levantamento de necessidades da empresa.

A participação de todos, além de permitir que o profissional adquira um conhecimento amplo sobre o negócio, também aproxima o mesmo das necessidades e angústias presentes em todo o nível da organização.

 

Além disso, diversos estudos têm ratificado que a elaboração do redesenho das tarefas em conjunto com os profissionais que atuam nas empresas apresentam os melhores resultados finais, incluso nisto, o engajamento na execução dos novos procedimentos.

 

Relação Tarefa (atividade prescrita) x Atividade (atividade real).

 

Para saber mais sobre essa diferença e sua relevância em diferentes áreas da empresa assista o vídeo >>https://youtu.be/X2DN5xyz-k4

 

 

Em um mercado altamente competitivo e onde a retenção e formação de talentos tem se mostrado um grande desafio para as empresas, é importante adotar práticas que vão de encontro com a melhor relação com o trabalho, para assim alcançar resultados de destaque, e nesse sentido a ergonomia organizacional é de grande valia.

 

Ficou com alguma dúvida ou tem uma sugestão? Deixe um comentário!

 

Até o próximo post e Go ahead, together!

 

Este artigo foi escrito por:

 

Omar Alexandre Ferreira, sócio fundador da Ergotríade, é Fisioterapeuta do Trabalho, Engenheiro de Produção e Mestrando em Ergonomia e Rodrigo Cirino de Souza, sócio co-fundador da Ergotríade, é Engenheiro de Produção e Comunicador Social.

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

A Engenharia da Ergonomia - Parte 1

September 6, 2017

1/3
Please reload

Posts Recentes