© 2018 por Ergotríade Gestão de Ergonomia

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon

Entenda a relação entre cadeiras e apoio para os pés e economize dinheiro

July 29, 2016

Escolher o modelo de cadeira ideal é sempre um problema. São inúmeras as variáveis envolvidas: As pessoas não são iguais, temos preferências, tamanho e peso diferentes uns dos outros (leia nosso artigo sobre antropometria e saiba mais).

 

A legislação também é um fator determinante, não dá para correr o risco de gastar o dinheiro da empresa em cadeiras que não serão aceitas no caso de uma fiscalização (veja a matéria que escrevemos sobre a cadeira ergonômica e que atende as exigências das normas).

 

Outro ponto crucial é o preço. No mercado há centenas, milhares de cadeiras, dos mais variados tipos, formatos, materiais, cores e fabricantes. O preço varia de R$ 50,00 a R$ 3.000.000,00. Isso mesmo, não é brincadeira. A cadeira mais cara do mundo custa 1,5 milhão de dólares, foi desenvolvida pelo estúdio de design italiano Pininfarina, o mesmo estúdio responsável pelo desenho das Ferraris e Cadillacs mais famosos do mundo. A cadeira reúne o que há de mais avançado em engenharia de materiais e só é vendida nos Emirados Árabes, onde há pessoas dispostas a pagar o valor de 10 apartamentos em uma cadeira.

 

 

 

Quando e como utilizar o apoio para os pés?

 

A resposta a esse pergunta leva em consideração a estatura da pessoa e também o layout do posto de trabalho e, sendo assim, demandaria uma análise individual. Porém, é possível estabelecer um ponto comum que poderá ajudar na tomada de decisão, vejamos:

 

1) Superfície de trabalho a 75 cm do piso e pessoas com altura igual ou superior a 1,70m:

 

Pessoas com altura igual ou superior a 1,70m devem utilizar só a cadeira padrão NR-17, não necessitando de apoio para os pés, já que a estatura irá permitir que os pés mantenham-se corretamente apoiados sobre o piso.

 

A cadeira padrão da NR-17 é assim:

 

 

 

2) Superfície de trabalho a 75 cm do piso e pessoas com menos de 1,70m:

 

 

 

Os mais baixos, cuja altura é inferior a 1,70m devem utilizar a cadeira com as especificações descritas acima, mais um suporte para apoio dos pés.

Esse suporte, para uma melhor acomodação dos pés, deve possuir sistema que permita a regulagem de altura e inclinação. Com isso, é possível assegurar um ângulo de 110º entre a articulação coxofemoral favorecendo a circulação sanguínea dos membros inferiores e evitando desconforto, dificuldade e até mesmo a fadiga.

 

3) Superfície de trabalho mais alta que 75 cm:

 

 

 

Os postos de trabalho que necessitem de uma cadeira de base elevada como balcões de atendimento, portarias e até mesmo máquinas e linhas de montagem, devem utilizar (caso não seja possível regular a altura da superfície de trabalho) uma cadeira com as especificações descritas acima, porém com base elevada, mais um suporte para apoio dos pés, que também deve possuir regulagem de altura e inclinação. Porém, não poderá ficar apoiado sobre o piso, já que o trabalhador não irá alcança-lo. Neste caso, o suporte deve ser afixado sobre a superfície de trabalho.

 

 

 

Apoio para os pés afixado sobre a superfície de trabalho

 

Se não for possível afixar o suporte como mostrado na imagem acima, então ele deverá ser acoplado à estrutura da cadeira, permitindo a correta acomodação das pernas e garantindo o ângulo de 110º entre a articulação coxofemoral.

 

O volante das cadeiras tipo “caixa” não substituem o apoio para os pés?
Não! O volante que acompanha estas cadeiras pode provocar a compressão da região atrás dos joelhos causando desconforto, dificuldade ou mesmo fadiga. Isso porque os pés mantem-se apoiados num ponto atrás da linha dos joelhos, ou seja, não há um ângulo de 110º entre a articulação coxofemoral.

 

Esperamos que esse artigo possa te ajudar a escolher a cadeira correta. Mas, se precisar de ajuda, entre em contato. Podemos assessorá-lo com estudos ergonômicos específicos (clique aqui para saber mais), envolvendo análise detalhada das condições ergonômicas dos postos de trabalho, estudo de antropometria da população trabalhadora e emissão de laudo conclusivo apontando quais os modelos de cadeira são mais adequados para garantir conforto e segurança aos trabalhadores e resguardar a empresa, tanto no atendimento à lei, quanto na economia de dinheiro.

 

É isso, vamos pra cima!

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

A Engenharia da Ergonomia - Parte 1

September 6, 2017

1/3
Please reload

Posts Recentes