© 2018 por Ergotríade Gestão de Ergonomia

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon

Tudo o que você precisa saber sobre salto alto

July 28, 2016

 

Os calçados de salto alto datam de 3.500 a.C. e o seu uso é associado a uma infinidade de situações, desde os nobres que os usavam para parecerem mais altos e poderosos, até prostitutas como uma forma de identificação, passando por açougueiros que os usavam para facilitar a locomoção no piso sujo de sangue.

Sendo como for, o fato é que o salto alto é querido por quase todas as mulheres. Objeto de desejo associado à elegância, beleza e sensualidade.


Yves Saint Laurent, um dos mais famosos estilistas franceses, disse certa vez que moda não é apenas uma forma de decorar mulheres, mas sim de reafirmá-las, dando à elas confiança.

 

Bem, se a questão fosse apenas dar confiança, do ponto de vista masculino, certamente o sapato de segurança, confeccionado em vaqueta de alta qualidade, com palmilha em espuma antibacteriana, solado com perfil antiderrapante e biqueira de aço, atenderia perfeitamente. O problema é que, do ponto de vista feminino, sentir-se segura é estar com um belo par de sapatos e, de preferência, de salto bem alto.

 

 

 

O salto e a saúde:

 

O maior problema não está exatamente no salto alto e sim na combinação de três fatores:

 

1) Intensidade: usar o salto em dias em que se precisará andar grandes distâncias ou ficar muito tempo em pé;


2) Frequência: usar salto mais de três vezes na semana;


3) Duração: permanecer com o calçado por mais de quatro horas consecutivas.

 

Segundo o Dr. Alexandre Godoy, do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, em uma entrevista para o Portal Terra, o uso excessivo do salto alto pode trazer prejuízos que vão desde dor local (nos pés, calcanhares e pernas) até riscos maiores como entorses, tendinites e até mesmo problemas na coluna.

 

O problema se agrava quando o salto começa a ser utilizado de forma rotineira por adolescentes, que ainda possuem a estrutura óssea em fase de formação.

 

Num estudo publicado na Agência USP de Notícias, a fisioterapeuta Dra. Patrícia Pezzan, analisou uma amostra com 100 jovens entre 13 e 20 anos e concluiu que o início do uso ainda na adolescência pode trazer prejuízos importantes na formação óssea. Patrícia observou problemas na rotação do osso da pelve que provoca empinamento do quadril, com aproximação dos joelhos e afastamento dos pés, ou seja, as pernas ficariam no formato de um “X”.

 

O calçado ideal

 

 

 

Segundo o ortopedista Dr. Douglas Rocha, do Hospital Paulistano, numa entrevista publicada pela Revista Viva Saúde, o sapato plataforma é o menos agressivo entre os modelos de salto alto, já que mantém os pés mais nivelados e distribui melhor o peso do corpo. No entanto, as rasteirinhas, que não possuem salto, estão longe de serem as melhores, já que o pé fica solto e o peso do corpo acaba se concentrando nos calcanhares.


Os melhores são aqueles que possuem saltos de 2 ou 3 centímetros.

 

Dicas para manter-se bonita, elegante e saudável com os saltos altos:

 

1) Prefira os modelos plataforma com saltos de 2 até, no máximo, 6 centímetros;


2) Dê preferência por modelos com a região do calcanhar mais alargada, que acomodam melhor os calcanhares e promovem maior estabilidade e distribuição de peso;


3) Se você usa o salto alto diariamente, deve incluir em sua rotina exercícios de fortalecimento muscular para as pernas, costas e abdome;


4) Intercale o uso. Deixe os saltos mais altos para os dias em que você não vai precisar andar muito, nem ficar longos períodos em pé. Para esses dias, prefira calçados comuns, mais baixos, ou se possível, tênis;


5) Compre sempre sapatos confortáveis. Não priorize a beleza ou o preço. Se o calçado oferecer algum desconforto, não compre. Além disso, deixe para comprar sapatos a noite, quando os pés já estão mais relaxados e menos inchados;


6) No final do dia, ao chegar em casa, descanse as pernas. Deite-se e mantenha as pernas elevadas por alguns minutos. Faça alongamentos dos músculos das panturrilhas, coxas e costas. Isso ajuda a relaxar e diminuir as possíveis dores.

 

Dica extra:

Uma amiga, fascinada por saltos, colaborou com uma dica extra, bem interessante. Quando você for comprar o sapato, vista-os (os dois); fique em pé num piso firme e nivelado; mantenha os joelhos retos e tente ficar na ponta dos pés, elevando os saltos (os dois de uma vez) a uns 3 centímetros do piso. Se você não conseguir fazer isso, sustentando a postura, sem dobrar os joelhos e sem desequilibrar-se, sinal que o salto é muito alto para você e, certamente, irá lhe causar dificuldades e desconforto durante o uso.

 

Aproveite as dicas, vista seu salto e curta o feriado!

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

A Engenharia da Ergonomia - Parte 1

September 6, 2017

1/3
Please reload

Posts Recentes