© 2018 por Ergotríade Gestão de Ergonomia

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon

Ergonomia: Adaptação do trabalho ao homem

 

 

A definição clássica e resumida da ciência ergonomia é: A adaptação do trabalho ao homem. 

 

Porém essa definição traz um grande equívoco, que não se pode fazer a seleção de um profissional com base em seu físico ou características antropométricas.

 

Eu discordo e acredito que os profissionais que pensam dessa forma estão equivocados e deveriam rever seus conceitos…

 

Eu me baseio em alguns pontos os quais irei compartilhar com vocês.

 

Todo trabalho pode ser realizado mesmo que seja penoso, desde que haja mecanismos de regulação, pausas, rodízios, tempo de adaptação,  etc…

 

Nem toda atividade que exija esforço físico é impróprio para o ser humano. Algumas atividades requer sim uma robustez maior por parte do trabalhador.

 

Imagina um soldado de frente do B.O.P.E franzino, ou um trabalhador que entregue móveis, geladeira, fogão, sofá, guarda roupas.

 

Seria lindo um robô que substituísse essa atividade, e até existem meios que há 10 anos não se pensava que fosse existir, porém ainda é inviável substituir 100% essas atividades por meios automatizados.

É preciso entendimento, critério e cuidado com afirmações absolutas sobre qualquer assunto, ainda mais quando falamos em uma ciência que não é nada exata, aspectos do ser humano sejam eles físicos ou mentais e a legislação que é interpretativa.

 

Eu acredito que os profissionais envolvidos direta ou indiretamente com a contratação de trabalhadores que irão labutar em postos onde as exigências físicas são significativas, sejam eles: profissionais de RH, médicos do trabalho, técnicos e engenheiros de segurança, busquem e analisem informações cientificas confiáveis, feitas por profissionais especialistas para poder tomar as decisões mais assertivas. Para tomar a decisão o gestor precisa de informação.

 

Muitos se baseiam no fato da discriminação, que é contra a lei não contratar alguém, emitir um inapto no ASO de um candidato pelo fato desse não ter as medidas antropométricas que satisfação as exigências de determinada atividade.

 

Ok! Admitir um trabalhador que decididamente tem pré disposição a evoluir para um quadro de hérnia de disco ou não possui uma boa robustez, ou tem hipertensão e irá trabalhar 8 horas carregando caixas com peso acima de 15 kg para cima e para baixo e após passar pelo período de experiência de 3 meses irá iniciar a interminável entrega de atestados até cair no ciclo de afastamentos e altas do INSS, ai tudo bem? Ai pode?

 

Seria o mesmo que uma psicóloga que trabalha na aérea de seleção do RH de uma empresa admitir para uma vaga administrativa onde o sujeito terá que elaborar planilhas, apresentações, relatórios, um “cara” que não sabe mexer com um computador.

 

5 Dicas para administrar a contratação de um trabalhador ligado a tarefas mais pesadas:

 

1. Cuide para que se tenha o perfil profissiográfico preenchido corretamente das funções onde há demanda de esforços físicos de forma importante;

2. Tenha uma Análise Ergonômica que não só cumpra a legislação, mas que seja objetiva e conclusiva baseada em ferramentas cientificamente comprovadas, com dados quantitativos e não só qualitativos;

3. Mapeie os postos de trabalho de forma a mostrar claramente a situação atual da empresa, dessa forma você facilita aqueles que irão tomar as decisões, como o médico do trabalho, por exemplo;

4. Esteja preparado para as possíveis contestações dos ASOS dados como inaptos;

5. Dê condições às áreas e profissionais envolvidos com a área de recrutamento e seleção, departamento médico, segurança do trabalho.

 

Se você tem uma situação ruim, mas não tem condições de resolvê-la, você tem um problema e não uma oportunidade de melhoria.

 

 É isso ai! Conhecimento, Habilidade e Atitude sempre!

Please reload

Posts Em Destaque

A Engenharia da Ergonomia - Parte 1

September 6, 2017

1/3
Please reload

Posts Recentes